Atendimento: 2ª a 6ª feira 08h00 às 11h00 (Horário MS)
(67) 3209-2500

Acessibilidade

A+
A-

Temperatura

II Expedição da Rota Bi Oceânica parte em busca do desenvolvimento da região Centro-Oeste


Publicado em: 29/08/2017 08:49 | Fonte/Agência: Assessoria de Comunicação | Autor: Vinicius Oliveira

II Expedição da Rota Bi Oceânica parte em busca do desenvolvimento da região Centro-Oeste

Foto: Vinicius Oliveira

Partiu de Campo Grande, nas primeiras horas da manhã de sexta-feira (25), a caravana brasileira formada por 28 caminhonetes que percorrerá 3 mil km de estradas até Antofagasta, na costa do Pacífico, para apresentar às autoridades sul-americanas a viabilidade da Rota para Integração Latino-Americana (RILA), uma parceria entre Brasil, Argentina, Paraguai e Chile.

Durante a parada na cidade de Porto Murtinho, era possível perceber o entusiasmo e o clima de otimismo que reina na região com a garantia de que o projeto sairá do papel e estará pronto em no máximo quatro anos. Entre as autoridades presentes, estavam o governador Reinaldo Azambuja, os secretários estaduais Marcelo Miglioli e Eduardo Riedel, o senador Pedro Chaves, além do embaixador do Chile, Jaime Gazmurie e o ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Didier César Olmedo Adorno. Também estivaram presentes os prefeitos das cidades de Jardim, Guia Lopes da Laguna, Nioaque e Porto Murtinho, além de empresários e da imprensa brasileira, paraguaia e argentina.

O corredor, que representará uma redução de 11 mil quilômetros, um ganho de até 6 dias no tempo de transporte de mercadorias e no escoamento da produção nacional comercializada com países da Ásia. Além da economia gerada pela nova rota, a “RILA abrirá também a possibilidade de incremento nas exportações do complexo soja, por exemplo, das atuais 67 milhões de toneladas (2016) para 135 milhões, além de outros produtos brasileiros”, afirma o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Cargas de MS – SETLOG-MS, Cláudio Cavol.

O governador Reinaldo Azambuja explicou que “a Rota Bioceânica começa a se consolidar, com o compromisso dos presidentes dos quatro países envolvidos, na principal rota em que os produtos brasileiros vão poder acessar os portos do pacífico, aumentado a nossa competitividade. Jardim e toda a região ganham muito com essa rota, pois os produtos como a carne, a soja e o milho daqui serão escoados através dela, sem contar o grande fluxo de caminhões, de turistas e pessoas que vão poder visitar essa região”, destacou.

Guilherme Monteiro disse ainda, “o nosso município se tornará um entreposto, um ponto de parada de pessoas e de mercadorias, o que vai gerar novas oportunidades de negócios para o comércio local. O turismo também vai se beneficiar, uma vez que visitantes do Chile, da Argentina e do Paraguai vão ter um caminho mais curto e direto para as belezas naturais de Jardim”, explicou o prefeito.

A expedição vai enfrentar, durante a travessia, trechos com estradas sem asfalto, poeira, a altitude na transposição da Cordilheira dos Andes e muito gelo nas estradas pavimentadas da Argentina e do Chile.